Você sabia que o conflito de interesses é um fator que aumenta as chances de irregularidades na empresa?

Conflito de Interesses

As situações de conflito de interesse nas empresas podem gerar consequências graves, considerando que criam oportunidades para condutas irregulares.

Para entender melhor sobre o tema, seguem abaixo as principais considerações:

O conflito de interesse surge quando há possibilidade do empregado agir com base nos interesses próprios e não da empresa. Ou seja, quando os interesses pessoais são impasse para o desempenho das atividades de maneira imparcial.  

Assim, qualquer situação que possa configurar conflito de interesses deve ser identificada precocemente para que medidas cabíveis sejam adotadas.

A intenção é evitar oportunidades de corrupção, favorecimentos e desvios de condutas.

Feitos os esclarecimentos, elencamos abaixo algumas situações que, por gerarem conflito de interesses, merecem atenção:

  • Líder e subordinado com grau de parentesco ou relação familiar;
  • Empregado com alguma relação próxima às empresas concorrentes;
  • Pessoas de setores estratégicos com amizade próxima ou relação de parentesco;
  • Negociações realizadas diretamente com prestadores, fornecedores e clientes que possuam relação de amizade, parentesco ou inimizade;
  • Solicitação e/ou aceite de presentes, vantagens pecuniárias ou materiais aos parceiros, clientes, fornecedores, concorrentes e afins;
  • Utilização de materiais, ferramentas, informações e demais ativos da empresa para fins particulares ou para benefício de terceiros que não guardam relação com a empresa.

Nas últimas sindicâncias realizadas pelos nossos especialistas, o conflito de interesse foi considerado fator gerador de irregularidades.

Para evitar situações prejudiciais é importante que seja elaborado um Código de Ética e Conduta que espelhe os valores da própria empresa, já prevendo comportamentos não legitimados.

No que diz respeito ao conflito de interesses propriamente dito, é aconselhado que o Código de Ética e Conduta exponha as políticas de vedação de parentes em graus de liderança e subordinação; políticas sobre os presentes; relacionamentos internos e afins.

Acresça-se que a empresa não pode, por meio de seu código interno, proibir que haja relação afetiva/amorosa entre os colaboradores, haja vista ser situação do âmbito pessoal.

Todavia, como os relacionamentos internos podem gerar conflitos de interesse, é possível que a empresa fixe o procedimento de comunicação ao departamento de Recursos Humanos sobre qualquer situação de relacionamento que possa gerar conflito. Por exemplo, gerente se relacionando com subordinado(a), para que a empresa tome medidas de alteração de setor e outras formas de evitar decisões imparciais. 

Por tudo exposto, entendemos ser de suma importância que os empresários verifiquem os procedimentos internos desejáveis, e criem um Código de Ética e Conduta compatível com a realidade e a cultura da Empresa.  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Receba nosso conteúdo

Fique por dentro dos assuntos jurídicos com o conteúdo do nosso time.